Odissi entre Amigos: ponte entre Oriente e Ocidente

Agenda, Café com Dança, Escolas em São Paulo dezembro 4, 2013 No Comments

Semana passada tive a grata surpresa de receber o convite para o evento “Odissi entre Amigos – Uma amizade descontraída entre Dança Indiana Clássica e Arte Contemporânea”, que ocorrerá nessa sexta-feira, a partir das 20h, na Sala Crisantempo. A bailarina Erika Strauss é minha amiga e em comum temos o aprendizado do Odissi transmitido pela professora Silvana Duarte, que há trinta anos ensina esse estilo de dança no Padmaa Arte e Cultura. Por oito importantes anos da minha vida, tive a oportunidade de experienciar essa milenar forma de arte indiana. Uma feliz confraria de dança, que me levou a diversas apresentações em São Paulo e à viagem para a Índia, onde dancei com a professora Aruna Mohanty, entre muitas outras vantagens. Em 2010, por conta de uma lesão no quadril, precisei parar de dançar e assim estou há mudados dois anos…não foi fácil decisão! No começo desse semestre, porém, flertei com o Odissi novamente: fui conferir as aulas da Silvana no Centro Cultural Indiano, especial espaço dedicado a essa cultura localizado no bairro dos Jardins. Uma moçada animada coloria de saris a sala perfumada de incenso. Tirei os sapatos e pisei os pés gelados no talco que faz deslizar melhor… Silvana logo me apresentou à turma, eu me apresentei à turma, e começamos a dançar. Ta ti naka tini ta…! Foi bonito reencontrar os passos do Odissi no meu corpo/mente/ambiente e toda a beleza dos gestos de mãos e percussão de pés. Pensei em voltar, lembrei das dores, não voltei até agora… Mas me sinto nesse movimento, divulgando o Odissi sempre que posso! As últimas foram matérias para as revistas TAM Nas Nuvens (edição #68) e One Health Mag, além de uma inédita entrevista aqui com a coreógrafa indiana Ananda Shankar Jayant. Em busca da harmonia que guia os meus passos…com ou sem guizos nos pés, eles ainda tilintam nos meus ouvidos! Compartilho abaixo mais uma, um papo que tive com Erika. Boa leitura e espero que possam comparecer na sexta-feira.

Quando e por quê você ingressou na dança Odissi?
Ingressei na dança Odissi em 2004. Fiquei muito tocada sobre o modo como essa dança integra a espiritualidade em seus movimentos. Podemos ver graça e força em perfeita harmonia.

Como se dá o aprendizado dessa dança?
O aprendizado exige disciplina e concentração. Os movimentos são bem elaborados: uma maravilhosa arquitetura entre olhos, torso, pés, braços e mãos. É enriquecedor estudar a atmosfera indiana nos templos, a sinuosidade e graciosidade dos gestos, e principalmente sentir que somos instrumentos da dança.

Você já foi à Índia? Quantas vezes? Qual foi a primeira vez?
Já visitei a Índia vinte vezes. A primeira vez foi muito especial, a sensação de voltar para casa, encontrar amigos e sentir um “colo de mãe”.

Conta para nós como vai ser o “Odissi entre Amigos”?
O evento terá abertura às 20 horas na Sala Crisantempo e o espetáculo de dança começará às 21 horas. Neste intervalo compartilharemos paineis com uma visão contemporânea da arte e do conhecimento indiano. O café do teatro também estará aberto para o público. A apresentação de dança será divida em três partes, falaremos sobre a energia que flui, o amor e a transformação.

O que mais me chama a atenção no evento é o fato dele unir a dança clássica indiana à arte contemporânea. Como isso vai se dar nessa noite?
A ideia é mostrar que o conhecimento milenar pode ser atual, sem deixar de ser tradicional. Isso é possível por meio do design contemporâneo, como forma de linguagem percebida aos olhos ocidentais. Isso leva o participante a identificar valores e princípios de vida que fazem parte do seu cotidiano, além de aparências e padrões estéticos.

Conta um pouco o que é o Odissi?
A dança Odissi é uma dramatização do conhecimento. Gestos e posturas falam de virtudes e aspectos físicos relacionados a diversas potências que pulsam na vida.

As músicas são belíssimas e extremamente elaboradas. Como é a escolha da trilha sonora para uma apresentação de Odissi?
A trilha sonora é especialmente elaborada para o Odissi e o ponto central é o pakhwaj, um instrumento de percussão parecido com a mridanga. Na Índia, as apresentações são acompanhadas por música ao vivo. No ocidente ainda não encontramos músicos especializados para acompanhar essa dança. As músicas são envolventes e contribuem para que dançarino e plateia comunguem de um mesmo estado elevado de espírito.

Com relação ao figurino e adornos, como é essa produção? Há algum significado neles?
O figurino é elaborado com sáris típicos de Orissa e dão movimento e graça à dança, sempre cobrindo o corpo, para que o objeto da atenção seja o movimento. Os ornamentos são feitos em prata, diferentemente de outros estilos de dança clássica indiana. No arranjo de flores da cabeça, podemos ver uma réplica da torre do templo de Jagannath, em Puri, Orissa. Os adornos estão relacionados à forma bela de nos manifestarmos, sendo a coroa o símbolo da auréola, representando uma força devocional e sinal de que naquele período estamos a serviço de uma força pura, genuína e transcendental.

Quais os principais benefícios do Odissi para a saúde? Qualquer um pode dançar?
Os benefícios são numerosos. No aspecto físico, adquirimos consciência corporal, tônus muscular, mobilidade física e equilíbrio. No aspecto mental, desenvolvemos a capacidade de articulação, concentração e disciplina sem perder a graça, leveza e doçura. Carregamos o foco da atenção e o refinamento do gesto para os movimentos do nosso cotidiano. A parte espiritual desenvolve-se ao abrirmos nossos corações ao sentimento de servir por meio da dança, somos instrumentos de transformação através da dança.

Que dicas você daria para quem quer entrar em contato com essa cultura milenar no Brasil?
Participe de todas as atividades relacionadas à cultura. Existem eventos de todas as naturezas: religiosos, gastronômicos, dança, cinema e arte. A imersão por meio da cultura de um país é uma das formas mais harmoniosas de sentir, e quem sabe, se identificar.

E para quem quer começar a dançar Odissi, o que você sugere?
Sugiro encontrar uma professora com que se estabeleça uma relação de amizade com o conhecimento da dança. Isso facilita muito a troca, a fluidez do aprendizado e o amor à dança.

Outros projetos em vista? Quais?
Por hora apresento essa perspectiva contemporânea da Dança Odissi, numa linha fina que divide e ao mesmo tempo integra o tradicional com o contemporâneo, como a linha do horizonte, que divide e integra céu e terra no limite de cada um.

Odissi entre Amigos
6 de dezembro, sexta-feira, às 20 horas
Sala Crisantempo
Rua Fidalga, 521 – Vila Madalena
Telefone: (11) 3819 2287
www.salacrisantempo.com.br

Topo